A clínica psicodinâmica do trabalho como possibilidade de ressignificação do sofrimento do trabalhador

A clínica psicodinâmica do trabalho como possibilidade de ressignificação do sofrimento do trabalhador

Beatriz Maria de Vasconcelos Pinon

Resumo


As exigências dos modelos de produção da era pós-moderna tornam as condições de trabalho cada vez maisprecárias, provocando a desconstrução dos laços sociais e da identidade dos trabalhadores; além de gravesofrimento psíquico para o trabalhador, caracterizado nas situações de sobrecarga, violência, compulsão enormopatia. Diante disso, o presente artigo tem como objetivo refletir sobre a Psicodinâmica do Trabalho comopossibilidade de ressignificação do sofrimento do trabalhador. Para isso, foi realizada pesquisa bibliográfica, eem sites científicos, como recurso para analisar e examinar artigos e produções científicas, tendo comodescritores: sofrimento; trabalho; Clínica Psicodinâmica do Trabalho. Dessa forma, é possível apreender que aPsicodinâmica do Trabalho se propõe a ser uma abordagem clínica, científica e prática que se inclina a estudar asvicissitudes do mundo do trabalho, propiciando alternativas de intervenção para ressignificação do sofrimentodos trabalhadores. No Brasil, tal metodologia tem sido utilizada com algumas adaptações dos dispositivosiniciais desenvolvidos pelo fundador da abordagem, Cristophe Dejours, sendo mais influenciados pelapsicanálise com intuito de se adequarem às demandas locais. Apesar de o modelo original ter sido adaptado paraatender as distintas demandas, a clínica do trabalho mantém seu fundamento na construção de um espaço de falae escuta dos trabalhadores - inseridos nos mais diversos contextos de trabalho -, com objetivo de possibilitar areconstrução dos laços afetivos, da reflexão e da ação no campo individual e coletivo.

Referências


ANTUNES, R. Os Sentidos do Trabalho: ensaio sobre a afirmação e a

negação do trabalho. 2. ed., 10. reimpr. ver. E ampl. São Paulo: Boitempo,

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as Metamorfoses e a Centralidade do

Mundo do Trabalho. 15. ed., 1. reimpr. São Paulo: Cortez, 2011.

BENDASSOLLI, P. F.; SOBOLL, L. A. P. Clínicas do trabalho: filiações, premissas e

desafios. Cad. psicol. soc. trab., São Paulo, v. 14, n. 1, p. 59-72, jun. 2011. Disponível em:

http://pepsic.bvsalud.org/pdf/cpst/v14n1/v14n1a06.pdf

BRANT, L. C.; MINAYO-GOMEZ, C. A transformação do sofrimento em adoecimento: do

nascimento da clínica à psicodinâmica do trabalho. Ciência & Saúde Coletiva, vol. 9, núm.

, pp. 213-223, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v9n1/19838.pdf

DEJOURS, C. A Loucura do Trabalho: estudo de Psicopatologia do Trabalho. São Paulo:

Atlas, 1992.

DEJOURS, C. Subjetividade , trabalho e ação. Revista Produção, v.14, n.3, p.027-034, 2004.

Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-

DEJOURS, C.; ABDOUCHELLI, E. (1994). Psicodinâmica do Trabalho: contribuições da

escola Dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1994.

DEJOURS, C.; MOLINIER, P. O trabalho como enigma. In S. Lancmane L. Sznelwar.

(Orgs.), Christophe Dejours: da psicopatologia à Psicodinâmica do Trabalho. 3. ed. Rio de

Janeiro: Fiocruz Brasília: Paralelo 15, p. 151-166, 2011.

DUARTE, F. S. Dispositivos para a escuta clínica do sofrimento no trabalho: entre as

clínicas da cooperação e das patologias. Dissertação de Mestrado, Universidade de Brasília,

Brasil, 2014. Disponível em: http://lpct.com.br/wp-content/uploads/2012/11/Dispositivospara-

uma-escuta-cl%C3%ADnica-do-sofrimento.pdf

FONSECA, R. M. C.; CARLOTTO, M. S. Saúde Mental e Afastamento do Trabalho em

Servidores do Judiciário do Estado do Rio Grande do Sul. Psicol. Pesq. vol. 5, n. 2 Juiz de

Fora dez. 2011. Disponível em; http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?

script=sci_arttext&pid=S1982-12472011000200004

GHIZONI, L. D. Clínica psicodinâmica da cooperação na associação de catadores e

catadoras de materiais recicláveis da região centro norte de palmas – to (ascampa).

Dissertação de Mestrado, Universidade de Brasília, Brasil, 2014. Disponível em:

http://www.repositorio.unb.br/bitstream/10482/15146/1/2013_LiliamDeisyGhizoni.pdf

GHIZONI, L. D.; MENDES, A. M. Dispositivos para uma escuta clínica do sofrimento no

trabalho dos catadores de materiais recicláveis. Contextos Clínicos, v. 7, p. 15-26, 2014.

Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-

GOMES-SOUZA, R.; MENDES, A. M. Ressignificação do TEPT a partir da clínica

psicodinâmica do trabalho. Rev. Guillermo de Ockham, v.14, n. 2, in print., 2016.

GÓMEZ, V.A., MENDES, A.M., CHATELARD, D.S. & CARVALHO, I.S. A palavra como

laço social na clínica Psicodinâmica do Trabalho. Contextos Clínicos, v. 9, n. 2, p. 253-264,

Disponível em:

www.revistas.unisinos.br/index.php/contextosclinicos/article/view/11039

JACQUES, C. M. G. Abordagens teórico-metodológicas em saúde/doença mental e trabalho.

Psicologia & Sociedade, vol. 15, n. 1, p. 97-116, 2003. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-71822003000100006

LULHIER, D. Introdução à psicossologia do trabalho. Cad. Psicol. Soc. Trab., São Paulo, v.

, n. spe. 1, p. 5-19, 2014. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?

script=sci_arttext&pid=S1516-37172014000100003

MARTINS, S. R.; MENDES, A. M. Espaço coletivo de discussão: a clínica psicodinâmica do

trabalho como ação de resistência. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 01, p.

-36, 2012. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?

script=sci_arttext&pid=S1984-66572012000200004

MENDES, A. M. (2007). Psicodinâmica do Trabalho: teoria, método e pesquisas. Casa do

Psicólogo: São Paulo. Mendes, 2009.

MENDES, A. M.; ARAÚJO, K. R. Clínica da psicodinâmica do Trabalho: práticas

brasileiras. Brasília: ExLibris, 2011.

MENDES, A. M. ; VIEIRA, F. de O. Diálogos entre a psicodinâmica e clínica do trabalho e os

estudos sobre coletivos de trabalho e práticas organizacionais. Farol Revista de Estudos

Organizacionais e Sociedade, v. 1, p. 103-143, 2014. Disponível em: lpct.com.br/?

page_id=6

PÉRILLEUX, T. O trabalho e os destinos políticos do sofrimento. In Merlo, A. R. C.;

Mendes, A. M; Moraes, R. D. (org.) O Sujeito no Trabalho: Entre a saúde e a patologia.

Curitiba: Juruá, 2013.

SELIGMANN-SILVA, E. Psicopatologia no trabalho: aspectos contemporâneos. In Ferreira,

J. J.; Penido, O.L. (org)Saúde mental no trabalho: coletânea do fórum de saúde e segurança

no trabalho do Estado de Goiás. p. 209-238. Goiânia: Cir Gráfica, 2013.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.