O CONCEITO DE SMART CITIES ALIADO À MOBILIDADE URBANA

O conceito de smart cities aliado à mobilidade urbana

Josiane Nascimento Andrade, Diogo Cavalcanti Galvão

Resumo


A mobilidade urbana é sensivelmente afetada pelo crescimento desordenado das cidades. Muitos problemas dos centros urbanos atualmente são ocasionados pelo aumento do número de automóveis nas ruas. A saturação viária, a grande emissão de poluentes e o pouco incentivo ao transporte coletivo são apenas alguns desses transtornos. Muitos modelos de gestão urbana excluem o cidadão dos processos de melhoria das condições urbanas. Mas, assim como as cidades crescem e evoluem diariamente, a tecnologia também o faz e está cada vez mais acessível e presente na vida das pessoas. Sendo assim, este artigo vislumbra apresentar o conceito de smart cities, que parte do princípio de que, através da tecnologia, as cidades podem se modernizar em benefício da população, surgindo como importante aliada aos problemas referentes à mobilidade urbana, bem como em outras áreas.

Referências


ARUP. Smart cities: transforming the 21st century city via the creative use of technology. 2010. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2015.

BATAGAN, L. Smart cities and sustainability models. A briefing guide for funders. Washington D.C: Essential Books, 2011. p. 80-87.

BOLLIER, D. How smart growth can stop sprawl: a fledgling citizen movement expands. 1998.

C40 SÃO PAULO CLIMATE SUMMIT. Síntese do C40 São Paulo Climate Summit 2011. São Paulo: Prefeitura de São Paulo, 2011.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

CHOURABI, H. et al. Understanding smart cities: an integrative framework. In: HAWAII INTERNATIONAL CONFERENCE ON SYSTEM SCIENCES, 45th. 2012. p. 2289-2297.

COSTA, Carlos Augusto. Cidades inteligentes e big data. Cidades inteligentes e mobilidade urbana. Cadernos FGV Projetos. Ano 9, n.º24. 2014. p. 66-73.

FURLAN, Flávia. Esperteza urbana. Revista Exame. Edição 1094, ano 49, nº. 14. 05/08/2015. 2015, p.34-44.

GALACHE, J. A. et al. Smart Santander: A joint service provision facility and experimentation-oriented testbed, within a smart city environment. 2013. Disponível em: . Acesso em: 13 de dez. 2015.

HARRISON, C.; DONNELLY, I. A. A theory of smart cities. 2011. Disponível em: . Acesso em: 09 dez 2015.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Perfil dos municípios brasileiros 2013. Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: < ftp://ftp.ibge.gov.br/Perfil_Municipios/2013/munic2013.pdf>. Acesso em: 12 dez. 2015.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. A mobilidade urbana no Brasil. Comunicados do IPEA, n.º 94. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2015.

KLINK, J. Regionalismo e reestruturação urbana: uma perspectiva brasileira de governança metropolitana. Porto Alegre, 2009. p. 217-226.

KOMNINOS, N. et al. Developing a policy roadmap for smart cities and the future internet. 2011. Disponível em: . Acesso em: 14 dez. 2015.

MASDAR. Sustainability. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2015.

MITCHELL, W. J. Intelligent cities. 2007. p.3-8. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2015.

MOREIRA, Cristiano Ramos. Uma iniciativa de smart city: o estudo de caso do Centro Integrado de Comando de Porto Alegre. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Dissertação de mestrado. Porto Alegre, 2015.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Rio+20: O futuro que queremos. Fatos sobre as cidades. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2015.

PORTO LEVE. Disponível em: < http://www.portoleve.org/>. Acesso em: 15 dez. 2015.

PRADO, Kárys Cristina Diederichs; SANTOS, Patrícia Estevão dos. Smart cities: conceito, iniciativas e o cenário carioca. Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2014.

PREFEITURA DO RIO DE JANEIRO. Centro de operações. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2015.

REDE BRASILEIRA DE CIDADES INTELIGENTES E HUMANAS. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2015.

SILVA, Silvio Bitencourt da. A emergência dos livings labs no Brasil como um meio para a promoção da inovação social . União de Ensino Superior de Campina Grande – UNESC. Campina Grande, 2012.

STATISTA. Internet usage worldwide - 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 dez. 2015.

TOWNSEND, Anthony M. Smart Cities: big data, civic hackers, and the quest for a new utopia. Paperback. 2014. p. 120-132.

UN-HABITAT. State of the world’s cities report 2012/2013: prosperity of cities. 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2015.

WEISS, Marcos Cesar. Cidades inteligentes como nova prática para o gerenciamento dos serviços e infraestruturas urbanos: estudo de caso da cidade de Porto Alegre. Centro Universitário da FEI. Dissertação de mestrado. São Paulo, 2013.

WOLFRAM, M. Deconstructing smart cities: an intertextual reading of concepts and practices for integrated urban and ICT development. 2012. p. 171-181.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.