Conforto Ambiental e Mobilidade no Plano de Requalificação e Inclusão Social da Comunidade do Pilar da Cidade do Recife

Conforto Ambiental e Mobilidade no Plano de Requalificação e Inclusão Social da Comunidade do Pilar da Cidade do Recife

Ewerton Cavalcante Silva, Danielly Munique Pimenta Cavalcatini, Nancy Neri

Resumo


Esse trabalho diz respeito à revisão do Plano de Requalificação e Inclusão Social da Comunidade do Pilar - PRUISCP, que está localizada no Bairro do Recife, na área central da cidade. O plano foi elaborado pela Prefeitura do Recife em 2002, mas ainda não foi concluído, deixando lacunas para uma revisão e atualização focada no conforto ambiental e na mobilidade. Neste contexto, se apresentam medidas de intervenção objetivando e avaliando a integração da comunidade e a malha urbana. Foram explorados teóricos que abordam o processo de planejamento em áreas centrais, a inclusão social, o conforto e a mobilidade urbana. Para o diagnóstico foram feitas visitas técnicas, elencando as principais características da área. Nesse contraste, atentamos para o fato do plano proposto estar se mostrando insuficiente na questão de conforto ambiental, mobilidade urbana e principalmente sua integração. E é a partir desse pressuposto que foram propostas diretrizes e ações a fim de dar uma nova perspectiva ao projeto da Comunidade do Pilar, contribuindo com a inclusão socioeconômica da área.

Referências


ARANTES, Otília Beatriz Fiori; MARICATO, Ermínia;VAINER, Carlos B. A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

ATAIDE, R.M. da C. Controle urbanístico ambiental para o conforto urbano: uma trajetória de planos diretores de Natal (RN)In: VI Encontro Nacional e III Encontro Latino-americano de Conforto no Ambiente Construído, 2001, São Paulo. Anais... São Paulo, ANTAC, 2001.

AYOADE, J. O. Introdução à Climatologia para os trópicos. 2.ed. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 1988

BARCELLOS, Frederico C.; OLIVEIRA, Sônia Maria M.C. Novas Fontes de Dados sobre Riscos Ambientais e Vulnerabilidade Social. IBGE, Rio de Janeiro, 2008. p. 1-15.

CARTA DE LISBOA (1995) – Reabilitação Urbana Integrada. Acessado a 16 de agosto de 2017, em https://www.culturanorte.pt/fotos/editor2/1995__carta_de_lisboa_sobre_a_reabilitacao_urbana_integrada-1%C2%BA_encontro_luso-brasileiro_de_reabilitacao_urbana.pdf.

CARVALHO, Paulo (2008) – Ordenamento Territorial e Desenvolvimento. (Revista da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra), Coimbra, Faculdade de Letras, Volume VI.

CAVALCANTE, Helenilda, LYRA, Rejane, AVELINO, Emília. Mosaico Urbano do Recife – Inclusão e Exclusão Socioambiental. 2009 – Recife/PE.

CIDADE, Soluções Para (Org.). Calçadas: soluções para cidades. 2018. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2018.

CLIMATE-DATA.ORG (Org.). CLIMA: RECIFE. 2018. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.RECIFE- Plano Diretor. Disponível: https://leismunicipais.com.br/plano-diretor-recife-pe.

CNT, Confederação Nacional de Transporte. Anuário CNT de Transporte 2017. 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2018.

CORRÊA, Roberto Lobato. Capítulos 5: Processos Espaciais e a Cidade. Trajetórias Geográficas, 3ª ed, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005, p. 120-143.

DALLARI, Adilson Abreu e Ferraz, Sergio. Estatuto da cidade: Comentários da lei federal 10.257/2001. 3ª edição. Malheiros Editores – São Paulo, 2015.

Disponível: ttp://internacional.estadao.com.br/blogs/olhar-sobre-o-mundo/cracolandia-trafico-solto/. Acessado: 27/02/2018.

DUARTE, Cristóvão Fernandes. Forma e movimento. Rio de Janeiro: Viane e Mosley: Ed. PROURB, 2006 (Coleção Arquitetura e Cidade).

DUARTE, Fábio. Planejamento Urbano. 1ª ed. Curitiba: Ibpex. 2013. 202 p.

GEHL, Jan. Cidade Para Pessoas. 3ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2015. 262 p.

GENGHINI, Marco Aurélio Barberato. Projeto Nova Luz (2005-2013): na propriedade privada e participação do poder econômico na requalificação urbana por meio da Concessão, São Paulo, 2014.

GROSSO, Kerley Soares de Souza. Intervenções urbanísticas como estratégia para o desenvolvimento local e revalorização da imagem da cidade: análise da revitalização no município de Niterói (RJ). 1° SIMPGEO/SP, Rio Claro, 2008.

HORTA, Maurício. A arquitetura do século 21: Veja algumas das obras que marcaram a década e as cidades. Brasil, 2000.

IBGE. CENSOS DEMOGRÁFICOS 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2017. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/

JACOBS, Jane. Morte e Vida das Grandes Cidades. São Paulo: Martins Fontes. 2001.

JORNAL DO COMERCIO. Documentário da vida dos moradores, 2017. Acessado em 12 de dezembro de 2017, jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/geral/not icia/2017/11/18/documentario-retrata-a-vida-das-pescadoras-na-ilha-de-deus-316353.php.

JÚNIOR, João de Athaydes Silva et al. Variabilidade espacial do conforto térmico e a segregação social do Espaço urbano. Revista Brasileira de Meteorologia, v.28, n.4, 419 - 428, 2013.

KIMMINS, J. P. Forest Ecology. New York: Macmillan Publishing, 1987. p. 531.

KINSKY, Marcos (2004). "Serpro garante acessibilidade digital para portadores de necessidades especiais". Disponível em: . Acesso em: 20/12/2017.

MACARIO. Mobilidade e Política Urbana: Subsídios para uma gestão integrada. 2011. Disponível em: . Acesso em: 6 fev. 2018.

MARTINEZ, Enrique. CIRIQUIRÁN, Pablo. MOURE, Mariá. Fundamentos para projetar espaços públicos confortáveis, 2013.

MASCARÓ, Lúcia, MASCARÓ, Juan. Ambiência urbana. Porto Alegre, 3ª edição, 2009.

MENDONÇA, F.; DANNI-OLIVEIRA, I. M. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: Oficina de Textos, 2007.

MOREIRA, Fernando Diniz. A construção de uma cidade moderna: Recife, 19091926. Dissertação (Mestrado) – Curso de Mestrado em Desenvolvimento Urbano, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 1994.

MOTA, S. Urbanização e Meio Ambiente. Rio de Janeiro: ABES, 1999.

NERY, Nancy. A Revitalização do Bairro do Recife e os Moradores do Pilar. Recife-PE, 2008.

NUNES, Cristiane. PENSAMENTO VERDE. Ventilação Natural em Residências. Rio de Janeiro, 2013. Disponível em: http://www.pensamentoverde.com.br/arquitetura-verde/ventilacao-natural-em-residencias/. Acesso em: 07 mai. 2018.

OKE, T.R “Canyon geometry and the nactural urban hear island: comparison of scale model and fied observations”, Jornal of Climatology, n.1, p237-254.

PERNAMBUCO, Agência CONDEPE/FIDEM. Região de Desenvolvimento Agreste Setentrional, disponível para consulta em: < http://www.condepefidem.pe.gov.br/regiao_desenvolvimento/agreste_setentrional/pe rfil.asp > Acesso em: 02 de dezembro de 2017.

planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5296.htm Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Acessado em: 22/02/2018

RECIFE, Prefeitura (Org.). BAIRROS: PREFEITURA RECIFE. 2018. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2018.

RECIFE, Prefeitura (Org.). Plano Diretor: Leis Municipais. 2005. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2018.

RECIFE, Prefeitura, Plano Requalificação e Inclusão Social da Comunidade do Pilar, Recife, 2008.

REZENDE; CASTOR, 2006 apud DUARTE, 2013. Planejamento Urbano. 1ª ed. Curitiba: Ibpex. 2013.

RIBAS, Paula. Nova Luz – um projeto urbanístico que deixa o povo falar. Disponível em: https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Mae-Terra/Nova-Luz-um-projeto-urbanistico-que-deixa-o-povo-do-lado-de-fora/3/24727. Acessado em 28/02/2018.

RIO DE JANEIRO, Sustenteaqui. Disponível: sustentarqui.com.br/urbanismo-paisagismo/o-maior-jar dim-vertical-da-europa/. Acessado em 08 de mai. 2018.

SAMORA, Patricia. Disponível: au17.pini.com.br/arquitetura-urbanismo/210/o-valor-do-centro-235077-1.aspx. Acessado em 28/03/2018.

SANTOS, M. Por uma Geografia Nova. São Paulo: Hucitec,1978.

SÃO PAULO, Prefeitura. Projeto Nova Luz, 2012.

SEPLAG-PE. Secretaria de Planejamento e Gestão de Pernambuco. Acessado em 22 de dezembro de 2017. seplag.pe.gov.br/web/idd/ilha-de-deus-sobre.

OCHOA, Juliana Herlemann et al. Análise do conforto ambiental em salas de aula: comparação entre dados técnicos e a percepção do usuário. 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 abr. 2018.

VAZ, Lilian Fessler; SILVEIRA, Carmen Beatriz. Áreas centrais, projetos urbanísticos e vazios urbanos. Revista Território. Rio de Janeiro, ano IV, n° 7. p. 51-66. jul/dez 1999.

WILHEIM, J. O substantivo e o adjetivo. São Paulo: Perspectiva, 1979.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.