Recife e seus monumentos: um estudo sobre o uso do espaço público e a preservação dos monumentos históricos

Recife e seus monumentos: um estudo sobre o uso do espaço público e a preservação dos monumentos históricos

Danielly Munique Pimenta Cavalcatin, Maria Juliete Galvão da Silva, Jéssica Gabriele Barbosa de Andrade, Cirleide dos Santos Tavares da Silva, Betania Maciel

Resumo


Ruas, parques, praças e prédios do Recife, contam a sua história através da arte, pelas obras de grandes artistas como: Cícero Dias, Abelardo da Hora, Francisco Brennand, Lula Cardoso Ayres e Corbiniano Lins, que na sua maioria, estão em locais com livre acesso, em espaços públicos ou privados. Em uma grande exposição pública permanente, grandes nomes se fazem presente reforçando a memória da sociedade pernambucana e construção de sua cultura. São esculturas e monumentos produzidos, em sua maior parte, entre as décadas de 40 e 60 e outras mais contemporâneas, que ganham vida às margens do Rio Capibaribe ou em praças públicas com a vocação de fazer lembrar, evocar, celebrar, como o “Monumento Tortura Nunca Mais” e a escultura “Carne da Minha Perna”. Caminhar pelas ruas e becos e refletir sobre o uso do espaço público e monumentos distribuídos na cidade do Recife, conviver com o passado e a paisagem urbana impregnada de memória e história e conhecer a origem de obras e autores que é a característica desta pesquisa.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.